Gazeta Regional Camaquã

INSS: Bolsonaro garante antecipação do 13º salário de aposentados, e anúncio oficial é aguardado


26/03/2021 - Fonte: GZH

Aprovação do Orçamento no Congresso destravou a medida que já vinha sendo prometida pelo ministro da Economia

 O presidente Jair Bolsonaro também garantiu para breve a antecipação do 13º salário de 2021 dos aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) Ele disse que o governo federal tomaria a medida quando o Orçamento fosse aprovado no Congresso, o que aconteceu logo após a declaração nessa quinta-feira (25) e destravou o pagamento esperado por 30 milhões de brasileiros. Mais cedo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também já havia garantido o adiantamento do benefício aos idosos, com declaração semelhante a que deu ainda no início de março.   

 A decisão é da presidência da República, e a Previdência Social apenas operacionaliza. Bolsonaro chegou a falar em "semana que vem", mas é provável que estivesse tratando da determinação da medida. Salvo algum mecanismo extraordinário, o dinheiro deve entrar na conta dos beneficiários do INSS somente em maio. A folha de pagamento roda na metade do mês, projetando o que será depositado no mês seguinte, explicou o instituto à coluna. O anúncio, em si, é esperado para essa sexta-feira (26). 

 Serão liberados R$ 50 bilhões em duas parcelas, em abril e maio, provavelmente. No ano passado, a antecipação esteve entre as primeiras medidas do governo federal para amenizar o impacto da covid-19 na economia. Importante lembrar que a antecipação do 13º do INSS não é um dinheiro extra, mas um adiantamento. O que for pago agora não será depositado no decorrer do ano. Antecipações do INSS acontecem desde 2006, mas, no ano passado, houve um adiantamento maior devido à crise.    

 Ainda no evento da Caixa Econômica Federal (CEF), Bolsonaro sinalizou que o governo deve retomar no mês que vem as medidas de apoio econômico relacionadas à pandemia. Para abril, confirmou a reedição de duas medidas: o Pronampe, de apoio a pequenas empresas, e o BEM, que flexibiliza os contratos de trabalho para evitar demissões.

 Por: Bruno Bonilha/Gazeta Regional Online

 Imagem: reprodução