Gazeta Regional Estado

Temporais deixam mais de 2 mil pessoas fora de casa no RS


12/01/2019 - Fonte:

Subiu de 1.878 para 2.081 o número de pessoas fora de casa por causa dos alagamentos no Estado, principalmente na Fronteira Oeste, conforme o boletim da Defesa Civil divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (11). 

A cidade mais afetada é Alegrete. São 1.290 moradores que tiveram que deixar as residências — 550 deles estão em um ginásio e em barracas montadas no Parque de Exposições da cidade, e outros 740 estão em casas de familiares e amigos. 

 

Em São Gabriel, 588 pessoas continuam fora de casas devido às cheias do Rio Vacacaí. Em Rosário do Sul, 21 moradores tiveram que deixar as residências nesta tarde por causa do transbordamento do Rio Santa Maria. Há famílias fora de casa ainda em Quaraí, Dom Pedrito e Bagé. 

No fim da tarde de sexta-feira, Alegrete contabilizava 740 pessoas desalojadas (estão em casa de amigos ou parentes) e 550 desabrigadas (transferidas para abrigos públicos), segundo boletim da Defesa Civil estadual.  

 A ponte Borges de Medeiros, principal ligação entre a zona leste e o restante do município, segue interditada por causa da cheia do Rio Ibirapuitã. Mesmo com menos volume de chuva nas últimas horas, o nível do rio seguia alto na tarde de sexta-feira, marcando 13m30cm metros acima do normal.  

6º Regimento de Cavalaria Blindado (6º RCB) / DivulgaçãoPonte Borges de Medeiros, principal ligação entre a zona leste e o restante do município de Alegrete, segue interditada6º Regimento de Cavalaria Blindado (6º RCB) / Divulgação

No início da noite, equipes da Defesa Civil no município tentaram nova medição, mas enfrentavam dificuldades de acesso à régua em razão da cheia. O órgão informou que não tem previsão de quando as pessoas poderão retornar para as suas residências. 

 A prefeitura de Alegrete, que decretou situação de emergência, estima que os prejuízos causados pela enchente na cidade ultrapassam os R$ 10 milhões até o momento. A Secretaria de Infraestrutura desligou os disjuntores de energia elétrica dos parques Rui Ramos e Porto dos Aguateiros por motivos de segurança. Os dois locais estão alagados. O Executivo divulgou alerta, reforçando que é “expressamente proibida a entrada de pessoas nestes e em outros locais alagados que contenham ligações de energia”. 

 

 
Publicidade: