Gazeta Regional Economia

Segundo aumento das passagens intermunicipais em 2018 entra em vigor no RS


02/12/2018 - Fonte:

A partir de sábado (1º), quem precisa de ônibus no Rio Grande do Sul para viajar a municípios mais distantes começa a pagar mais caro pela passagem. É que entrou em vigor o reajuste de preços aprovado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados (Agergs). Esse é o segundo aumento em 2018 e vale para as viagens de longo curso, que são aquelas cujo destino é fora da região de origem.

Os preços sobem 9,45% para linhas que utilizam estações rodoviárias e 11,1% para passageiros que embarcam ao longo do caminho. É a metade que faltava de um aumento dividido em duas etapas, que começou em julho.

No total, os gaúchos terminam o ano pagando mais 18,9% para as linhas que utilizam as estações rodoviárias e 22,2% para as modalidades com embarque ao longo do percurso. Bem acima da inflação registrada nos últimos 12 meses pelo IBGE, que foi de 4,56%.

 
Reajuste das passagens foi superior à inflação — Foto: Reprodução/RBS TVReajuste das passagens foi superior à inflação — Foto: Reprodução/RBS TV

Reajuste das passagens foi superior à inflação — Foto: Reprodução/RBS TV

O conselho superior da Agergs informa que a revisão da planilha de tarifas não era feita desde 2009, quando ocorreu uma revisão parcial, e que a medida busca evitar o sucateamento da frota.

Para tentar amenizar o choque para o consumidor, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), que gerencia o transporte rodoviário no estado, pediu que o aumento fosse dividido.

 

"A gente sabe que impacto de tarifas dessa ordem pode afetar o aproveitamento das linhas", afirma o diretor de Transportes Rodoviários do Daer, Lauro Hagemann.

"Tem empresas com aproveitamentos excelentes em linhas, outras nem tanto. Passageiro está acostumado com valor de passagem que já aperta seu orçamento, imagina com reajuste de 20%", completa.

Passageiros sentem no bolso

Quem foi até a rodoviária de Porto Alegre neste sábado já encontrou os preços das passagens mais altos. "Semana passada, eu fui, era um preço. Essa semana, já é outro. Duas passagens 'deu 89 pilas'. Muito 'salgado'", lamenta a camareira Paula Rodrigues.

A Maiara Donato, que é supervisora de uma empresa, viaja toda semana da capital para Passo Fundo, no Norte do estado, a trabalho. "De 89 [reais] foi a 102 a passagem", relata Maiara.

A auxiliar de vendas Caroline Morais, que é colega dela, está começando a fazer o mesmo trajeto agora. O preço mais caro complica o orçamento. "É um absurdo para quem tem obrigação de ir a trabalho", reclama Caroline.

"Infelizmente, não tem como evitar, e quem sofre é a gente que tem que pagar, né?", conclui Maiara.

Publicidade: