Gazeta Regional Dom Feliciano

Dom Feliciano está sem médicos nos postos de saúde


21/11/2018 - Fonte: Ascom Dom Feliciano
Hoje, 21 de novembro, dois postos de saúde do município já estão sem as médicas cubanas Elsa Maria Zamorae, Vila Fátima, e Yadira Pino, Santa Rita, do programa federal Mais Médicos. A Secretaria de Saúde recebeu a notícia ontem, 20, que seria o último dia delas - também pegas de surpresa com o comunicado, já que contava com o trabalho delas pelo menos até o final do mês. Também se desvinculou de contrato com a Prefeitura, a profissional cubana Bárbara Sanches, que atendia no Faxinal, há mais de um ano, encerrando as atividades com atendimento de 17 consultas. “É um dia triste para Dom Feliciano”, postou o prefeito Clenio em redes sociais, retornando do Encontro dos Municípios Brasileiros, em Brasília. “Através do Mais Médicos havíamos conseguido algo inédito: médicos em todos ESFs”, lamenta. “Infelizmente, a população mais pobre é que vai sofrer as consequências.”
 
Na noite de ontem, 20, o Ministério da Saúde, em um movimento conjunto com CONASEMS/RS – Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do RS, publicou o edital nº 18 a fim de preencher as vagas que ficarão abertas com a saída dos médicos cubanos do país, no entanto, o COSEMS alerta que mesmo com toda a movimentação que vem sendo feita e mesmo considerando que todas as vagas sejam preenchidas através do edital nº 18, estima-se que as unidades básicas de saúde dos municípios gaúchos ficarão sem assistência médica por pelo menos 30 dias, deixando de realizar mais de 280 mil consultas médicas na Atenção Primária à Saúde neste período.
 
Ontem, ainda, Yadira, que já estava há dois anos do ESF de Santa Rita, realizou 52 consultas durante o dia, e Elsa, desde abril na unidade de Vila Fátima, 17 atendimentos pela manhã, e quatro visitas domiciliares à tarde. O cenário hoje é de lamentação e reclamação pela ausência de médicos pelos cidadãos e cidadãs que estão sendo encaminhados para consultas eletivas à UBS – Unidade de Saúde Básica, na área urbana, e pronto atendimento do Hospital São José. Nos postos seguem atendimentos de enfermagem – citopatológicos, atendimentos em grupos (hipertensos e diabéticos), dispensação e aplicação de medicações com receita médica, puericultura, testes rápidos (HIV, Sífilis, Hepatites), até que a Secretaria de Saúde consiga novos médicos para atendimentos.
Publicidade: