Gazeta Regional Região

Governo garante mais recursos para a duplicação da BR-116


09/05/2018 - Fonte:

Em reunião encerrada no começo da noite desta quarta-feira (09) com os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e dos Transportes, Valter Casimiro, o senador Lasier Martins (PSD-RS) obteve a garantia do governo de mais R$ 29,5 milhões para a duplicação da BR-116. O valor corresponde a um descontingenciamento e se destinará à conclusão do trecho entre Sentinela do Sul a São Lourenço, equivalente aos lotes 4, 5, 6 e 7, passando por Camaquã e Cristal.

Atualmente, o obra está em 59,5%. Os demais trechos enfrentam dificuldades para avançar em razão de falência de empreiteiras ou em recuperação judicial. Até então, o orçamento total da obra para este ano era R$ 99,7 milhões, sendo R$ 70,2 milhões em valores empenhados. “Desde a mobilização em Camaquã não paramos mais. Não conseguimos tudo que precisamos. Mas já temos recursos garantidos até dezembro para mais 35 quilômetros”, comentou o senador.

Para a prefeita de Cristal, Fábia Richter, que preside o Consórcio Intermunicipal de Municípios, a boa notícia é resultado do grande movimento que a região realizou recentemente em Camaquã.

 

Comitiva também faz cobranças

O deputado Afonso Hamm, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Conclusão da Duplicação da BR-116, tratou do andamento das obras da rodovia com o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, também nesta quarta-feira, em Brasília. Durante a audiência, que contou com a presença da senadora Ana Amélia Lemos e do presidente da Azonazul e prefeito de São Lourenço, Rudinei Harter, foi solicitado o remanejamento de recursos de projetos que não possuem previsão de execução.

O ministro reconheceu a importância da rodovia para o Estado e afirmou que essa decisão deve ser articulada com o Ministério dos Transportes. “Entendemos que a BR-116 deve ser priorizada dentro das prioridades do Governo Federal e estamos dispostos a colaborar para que, dentro do possível, os trechos sejam concluídos e liberados”, disse. De acordo com Afonso Hamm, se a União seguir liberando o mesmo volume de recursos será necessário mais 10 anos para a conclusão. “Além dos prejuízos causados pela deterioração do que já está feito o número de acidentes continuará crescendo e, consequentemente, o número de vítimas também”, ressaltou.

Os encaminhamentos serão retomados na próxima semana, em reunião conjunta entre os Ministérios do Planejamento e dos Transportes e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Pela manhã, o deputado esteve reunido com o secretário de Fiscalização de Infraestrutura Rodoviária e de Aviação Civil do Tribunal de Contas da União (TCU), Luiz Fernando de Souza, buscando soluções para o impasse da política de correção de preços do asfalto. Uma nova agenda está sendo articulada pelo deputado, com a participação do TCU e do DNIT, para discutir alternativas para o reajustamento dos contratos e a retomada dos trabalhos.

Fotos: Gazeta Regional e Divulgação

Publicidade: