Gazeta Regional Política

Operação do Ministério Público prende vereador de Viamão


16/09/2020 - Fonte: Jornal O Sul

 Mandados foram cumpridos na Câmara de Vereadores e na prefeitura durante a Operação Pegadas.

 O MP (Ministério Público) cumpriu, na manhã desta terça-feira (15), 26 mandados de prisão, de afastamento de funções e de busca e apreensão em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, durante a Operação Pegadas.

 As ordens judiciais foram cumpridas na prefeitura, na Câmara de Vereadores e nas residências e empresas ligadas aos suspeitos. O vereador Sergio Angelo foi preso. O político havia sido excluído do PV em junho.

 A ação é um desdobramento da Operação Capital, que foi deflagrada no dia 12 de fevereiro e resultou no afastamento do prefeito André Pacheco (sem partido), além da aplicação de diversas medidas cautelares contra agentes públicos e empresários ligados ao Poder Executivo local, em decorrência de prováveis fraudes licitatórias e desvios de rendas do Erário referentes a contratos na área da saúde pública, limpeza urbana, manutenção de prédios públicos, comunicação e sistemas de informática. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em R$ 14 milhões. As fraudes ocorreram entre 2017 e 2019.

 “ A etapa ostensiva da Operação Pegadas, desencadeada nesta terça-feira, consiste no cumprimento de decisão cautelar proferida pela 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, lastreada em indícios de ilicitude e superfaturamento relacionados à contratação de serviços médicos, inclusive durante o período de pandemia. Também, em indícios de irregularidade na aquisição de pares de tênis, sem licitação, com sobrepreço, nos anos de 2018 e 2019. Além disso, o MP-RS investiga a continuidade de fraudes e superfaturamento na contratação de serviços de limpeza urbana e manutenção de prédios públicos, até a presente data, inclusive, mediante a utilização de empresa de fachada, em nome de laranja de integrante do Poder Legislativo local.” - Informou o órgão.

“ Ressalta-se que o prefeito de Viamão em exercício, Nadim Harfouche, não é investigado na operação.” - Destacou o MP-RS.