Gazeta Regional Região

Hospital de Charqueadas recebe 10 respiradores para leitos da UTI atenderem também a população prisional


06/07/2020 - Fonte: Secretaria Estadual de Saúde

 Respiradores foram entregues para o Hospital de Charqueadas no setor de suprimentos.

A Secretaria da Saúde (SES) já entregou os 10 respiradores destinados à nova ala de UTI Adulto do Hospital de Charqueadas que também receberá casos graves de Covid-19 detectados entre a população prisional.A iniciativa faz parte de um acordo entre a SES, a Associação Hospitalar Vila Nova e a prefeitura de Charqueadas. As novas vagas estão sendo implementadas com os respiradores enviados pelo Ministério da Saúde e com a sua posterior habilitação junto ao Sistema Único de Saúde (SUS).

  A Associação Hospitalar Vila Nova se apresentou apta para ampliar a capacidade de leitos de UTI Adulto para atender pelo SUS, com a disponibilização de todas as condições necessárias, como camas e equipe de profissionais para atuar junto à nova ala de atendimento a casos graves de coronavírus.A diretora do Departamento de Atenção Hospitalar e Ambulatorial da SES, Lisiane Fagundes, disse que, “esses novos leitos fazem parte do processo de ampliação da capacidade instalada de leitos de UTI para atendimento da Covid-19 em que o Governo do Estado está empenhado, contando com o apoio do Ministério da Saúde.

  Segundo ela, até agora o Rio Grande do Sul já aumentou em 70% o número de leitos de UTI, com previsão de chegar a 104% em breve.O presidente da Associação Hospitalar Vila Nova, Dirceu Dal’Molin, enfatiza que “na pandemia temos a necessidade de leitos de terapia intensiva para a população carcerária estimada em 40 mil apenados”. Ele informa que a nova UTI será montada no espaço físico do bloco cirúrgico do Hospital de Charqueadas. “Já temos área física, equipe médica e aparelhos”, frisa.
Conforme o presidente, “Isto trará uma segurança a todo sistema prisional, temos em Charqueadas o maior número de apenados em uma mesma região e a UTI ficará bem próxima dos que necessitarem”, afirma. Ele conclui lembrando que o atendimento aos detentos com Covid-19 não vai prejudicar o atendimento ao restante da população em geral.

Publicidade: