Gazeta Regional Política

Democracia é a melhor forma de governo para 62% dos brasileiros, segundo pesquisa


01/01/2020 - Fonte: O Sul

Pesquisa Datafolha publicada nesta quarta-feira (1º) pelo Jornal Folha de S. Paulo aponta que 62% dos brasileiros consideram que a democracia é sempre a melhor forma de governo. Para 12%, a ditadura é preferível em certas circunstâncias e 22% acham que tanto faz.

O levantamento, feito nos dias 5 e 6 de dezembro, mostra que a avaliação de que a democracia é sempre melhor forma de governo caiu sete pontos percentuais desde a última pesquisa, realizada em 3 e 4 de outubro de 2018, na semana do 1º turno das eleições. Já a parcela dos que acham que tanto faz subiu 9 pontos.

Naquela ocasião, 69% responderam que a democracia é sempre melhor que qualquer forma de governo; 12% afirmaram que certas circunstâncias é melhor uma ditadura do que um regime democrático; e 13% disseram que tanto faz se é uma democracia ou uma ditadura.

O Datafolha ouviu 2.948 pessoas nos dias 5 e 6 de dezembro de 2019 em 176 municípios do Brasil, em todas as regiões do País. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Chance de a ditadura voltar

O instituto também perguntou aos entrevistados se eles acreditam que há chance de a ditadura voltar. Os resultados foram os seguintes: 49% acham que não nenhuma chance (em 2018, eram 42%); 25% acham que há um pouco de chance (eram 19%);
21% acham que há muita chance (eram 31%); 5% não souberam responder (eram 8%).

Legado da ditadura

O Datafolha questionou os entrevistados, ainda, sobre o legado da ditadura. 59% acham que a ditadura deixou mais realizações negativas do que positivas (em 2018, eram 51%); 30% acham que deixou mais realizações positivas que negativas (eram 32%); 12% não souberam responder (eram 17%).

O levantamento também consultou o índice de conhecimento da população sobre o AI-5 (Ato Institucional nº 5), uma das principais medidas da repressão adotadas pela ditadura militar (1964-1985).

Publicidade: