Gazeta Regional Política

Alexandre Frota pode ser expulso do PSL nesta terça, admite a cúpula do partido


13/08/2019 - Fonte:

Segundo o presidente nacional do PSL, o deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), ele e o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) vão se reunir nesta terça-feira (13) para uma conversa sobre os pedidos de expulsão levantados contra Frota e sobre a abstenção do parlamentar na votação da reforma da Previdência, usada como protesto. O DEM já está de portas abertas esperando a decisão do partido de Jair Bolsonaro.

O destino do deputado federal Alexandre Frota deve ser definido nesta semana após uma decisão da Executiva do PSL. Frota foi sacado vice-liderança da legenda como forma de retaliação após críticas a Bolsonaro e abandonou as redes sociais (Twitter, Instagram e Facebook), onde fazia análises sobre o governo.

Frota, que se absteve da votação da reforma da Previdência na semana passada, jogou um fósforo no barril de pólvora do PSL e parece não ter mais espaço no partido. A saída, já dada como certa, anima outras legendas, como o Democratas (DEM), do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo o Congresso em Foco, o líder do DEM, ACM Neto, confirmou que foi feito um convite ao parlamentar. Se o PSL decidir pela expulsão, Frota mantém seu mandato e pode aumentar a bancada do DEM, que se coloca atualmente no “Centrão”. Em seu Twitter, já desativado, o deputado já postou mensagens concordando com análises de Rodrigo Maia.

Redes sociais

Após ter sido alvo de pedidos de expulsão do PSL por colegas de partido e depois de várias declarações públicas criticando o governo Jair Bolsonaro, Frota desativou todas os seus perfis nas redes sociais. Um dos principais cabos eleitorais de Bolsonaro durante a campanha do ano passado, Frota começou a se distanciar do governo após fazer duras críticas ao presidente, seus filhos e seus aliados.

Em entrevista à revista Época no mês de julho, o deputado chamou o presidente de “minha pior decepção”, afirmou que o chanceler Ernesto Araújo é “péssimo” e disse que o escritor Olavo de Carvalho, tido como influenciador do governo, “não vale absolutamente nada”.

Dias depois, ele ainda faria críticas à deputada Carla Zambelli e ao senador Major Olímpio, ambos do PSL. Sobre o militar, Frota escreveu no Twitter que ele compunha “uma milícia de ex-PMs” que se instalou na legenda e que sua passagem pelo partido nas eleições de 2018 teria deixado irregularidades.

“Major, até hoje estamos esperando a prestação de contas do PSL-SP antes, durante e depois da eleição. O senhor deixou 43 diretórios com sérios problemas. Estamos na liminar até hoje. Fora a sua milícia de ex-PMs. Em cada lugar que passo tem um coronel que é dono do PSL”, postou, no dia 22 de julho.

Olímpio, então, abriu representação interna contra ele no dia 29 e disse que iria processá-lo por danos morais. Zambelli também apresentou uma ação contra o deputado, pedindo sua expulsão do PSL. “Situação insustentável”, escreveu.

Publicidade:
Publicidade: