Gazeta Regional Alvorino

Pontos em Comum


31/05/2018 -

Finalmente parece que Legislativo e Executivo começam a se entender. Desde o início da gestão atual da mesa da Câmara existem pontos convergentes entre o Presidente Claiton e o Prefeito Ivo na busca de pontos nos quais os dois não divergem, eis que, como sabemos, o Presidente do Legislativo é Pedetista e o Chefe do Executivo Tucano. Embora um não seja “Bicudo”, os dois “não se beijam”, daí a necessidade de buscar consenso visando o bem maior da sociedade Camaquense. E nos encontros realizados pelos dois poderes, já começam a surgir idéias que se dirigem a um mesmo ponto: O entendimento! Com isto quem sai ganhando é o município. O primeiro fruto é o do local para construção da nova sede da Câmara de Vereadores. Os edis querem ampliar e modernizar a sede, buscando maior espaço, que é necessário. O município tem espaços que servem aos interesses da Câmara, que por sua vez tem os recursos para aquisição do imóvel. Recursos necessários para o Executivo. Assim, através do diálogo, está surgindo o entendimento para que Executivo e Legislativo façam um acordo em que todas as partes saiam ganhando. Esta é exatamente a primícia de um bom negócio! Torcemos para que continue assim.

Foto: Arquivo/GR

Tiro no pé!


22/05/2018 -

Ouço comentários de que existe a pretensão dos municípios da região, inclusive Camaquã, pleitearem a municipalização do Hospital Nossa Senhora Aparecida. Não quero crer que este boato seja verdadeiro, pois se o fôr, trata-se de um legítimo tiro no pé da população e um grande equívoco dos pretendentes. Conviví, a cerca de 40 anos atrás, com o Hospital que dependia para tudo do município. Era um verdadeiro caos, cabide de empregos, favores, má gestão, corrupção e outros fatos que nem é bom trazer a tona. Foi no governo do saudoso Paulo Belchior da Costa, que tivemos a criação da Fundação Hospitalar que tão bem conduz a instituição. Hoje vemos que os municípios não têm sequer recursos para gerir as suas próprias responsabilidades com a saúde básica local. Administrar um hospital exige capacidade e dedicação, o que não vemos por aqui. E cá entre nós: O HNSA está muito bem administrado e tem uma equipe muito preparada a realizar o trabalho que se exige de uma instituição de saúde. Se nem tapar buracos o município faz bem, como seria cuidar de nossa saúde?

Foto: Arquivo/GR

Ceee fiscaliza suspeitos de “Gato”


11/05/2018 -

Após muitos avisos de que roubar energia elétrica é crime, a CEEE passou a agir contra os que a utilizam ilegalmente no município e na semana passada 78 consumidores foram investigados em Camaquã. Destes, apenas 4 tiveram de responder  processo junto a justiça sobre a incongruência existente entre o consumo e a conta. Felizmente o número é pequeno levando em conta a quantidade de pessoas que foram fiscalizadas. Mas fica o alerta!

Foto: Andreia Fantinel/CEEE/Divulgação

Mudanças no trânsito


10/05/2018 -

Conversamos no Controle Geral com o Diretor de Trânsito do município  Carlos Eduardo Guaspari. O Diretor informou que nos próximos dias deverão ser implementadas modificações no trânsito da Rua Prof. Luiza Maraninchi, que voltará a ter duplo sentido. A Manoel da Silva Pacheco também terá alterações já autorizadas pela comissão. Em breve também poderemos ter mudanças na Rua Antônio José Centeno.  Quanto ao estacionamento rotativo o Governo já enviou para a Câmara alteração de artigo da Lei que estava incompatível com a possibilidade de implantação. Logo que a Câmara aprove as alterações teremos a implantação, segundo Guaspari.

Foto: Reprodução

 

Há um equívoco


08/05/2018 -

É justo que a cada vez que temos a substituição de uma administração seja ela Federal, Estadual ou municipal, se conceda certo prazo para que um novo governo possa implementar o conjunto de princípios, idéias, normas e funções que tem o fim de ordenar a estrutura e funcionamento de uma organização, no caso aqui, o município. Um tempo razoável para que os efeitos comecem a surgir é de meio ano, ou seja, seis meses. Passado este lapso de tempo, algo deve aparecer, ou para melhor, se as medidas estão surtindo efeito, ou para  pior se não. Digo isso porque tenho ouvido frequentemente representantes do órgão municipal se manifestarem culpando a ineficiência da atuação do governo por culpa do anterior. Ora, até pode ser que o governo passado tenha tido lá os seus equívocos, porém, a esta altura do campeonato não há mais que se falar do passado, pois a atual administração já teve um ano e meio para sanar as dificuldades que já devia saber que existiam quando assumiu o poder. Três meses antes de ascender ao governo, nomeou uma equipe de transição para tomar conhecimento das atividades municipais e quando foi empossado devia ter implementado as modificações necessárias. Desta forma, acredito haver um equívoco, já não é mais possível culpar o governo anterior por deficiências que poderiam ter sido corrigidas pelo atual.

Prá você pensar:

“Não há equívoco maior do que confundir homens inteligentes com sábios”. (Francis Bacon)

Foto: Arquivo/GR

COLUNISTA

Alvorino Osvaldt

Advogado e apresentador do programa Controle Geral da Rádio Camaquense.

Alagamentos e ambulantes

Um dos bons vereadores em Camaquã é Marco Longaray, sempre dedicado as questões que envolvem o bem comum! Ele foi um dos participantes do Controle Geral do último sábado e nos trouxe diversos assuntos importantes para a municipalidade. Abordou, por exemplo, a questão dos alagamentos na cidade, informando que o Prefeito Ivo está dialogando com a Universidade de Rio Grande para a realização de Estudo Hidrológico sobre as nossas dificuldades pluviais, o que por certo trará muitas vantagens para a comunidade, pois como se sabe inexistem recursos para sanar os alagamentos, e para buscá-los no Governo Federal há necessidade de projetos bem embasados. Desta forma, como os recursos da Corsan destinados para tal finalidade não foram usados para este fim, se faz necessário apelar à União. Para tal finalidade também se faz necessário um plano diretor de manejo das águas pluviais e arroios, que segundo Marco, ainda não temos. Outra questão na qual o Vereador está envolvido, é o grupo de trabalho que agrupa várias secretarias e a Câmara, Acic e Sindilojas e os ambulantes. Se pretende fazer a colocação deste tipo de comércio em local específico da cidade, eis que com a implantação do estacionamento rotativo não haverá mais a possibilidade de que fiquem à margem das vias, como até agora tem sido. O assunto está em discussão e brevemente será resolvido.

Estacionamento Rotativo pode iniciar este ano

Uma das questões que se arrasta a mais de dois anos no município é a implantação do Estacionamento Rotativo. Aprovado pela Câmara, agora já com licitação em andamento, aguarda o prazo de recursos para que a empresa vencedora possa iniciar seu trabalho na cidade. Antiga reivindicação das entidades de classe e lojistas da cidade parece que agora vai acontecer. Abrangerá o centro da cidade, onde no momento é quase impossível estacionar, tal o número de veículos que disputam uma vaga. Delimitado o perímetro que abrangerá 750 vagas e serão exploradas por empresa devidamente credenciada para realizar tal serviço. O município receberá 10% do valor arrecadado pela empresa e o inicio dos trabalhos poderá acontecer ainda este ano.

Pra você pensar:
“Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, mesmo que o agrave”. (Carlos Drummond de Andrade)

Camaquã (RS), 17 de setembro de 2018.

Alvorino Osvaldt