Gazeta Regional Alvorino

Brasília e o resto


03/07/2018 -

Há uma tese de que o isolamento geográfico de Brasília seja uma das causas da desconexão entre o Planalto Central e o que acontece no resto do país. Sua criação elaborada para tornar mais visível o poder central, saída da cabeça de Oscar Niemeyer, faz com que a nossa capital seja o berço ideal para a criação de burocratas e asseclas. Será que esses seres nocivos se criariam da mesma forma em ambientes menos acolhedores? Mais expostos à pressão popular, teriam nossos líderes mais pudor ao conduzir seus planos e tramoias, evitando assim constrangimentos e embaraços na sua vida cotidiana? É impossível saber. E mesmo se fosse viável realizar um teste como esse – e fosse apoiada a tese de que o isolamento é nocivo, mesmo assim não teríamos chances de mudança, pois seria justamente contra os interesses dos que decidem. Diante da realidade apresentada, a impressão que temos nos últimos meses é a de que Brasília não está mais isolada. Está em outra dimensão e de lá dita as leis para o país. O  jornal o “Estadão” em seu editorial de sexta, dia 29, revela o tamanho da traição. Mostra o saque aos cofres públicos que os congressistas estão perpetrando, aproveitando a fraqueza do Executivo e a distração do país com a Copa e as festas de junho. Bilhões em benefícios, na forma de renúncias fiscais, estão sendo concedidos a grupos de interesse.  Dane-se a periclitante situação fiscal das contas públicas e o risco que isso traz à recuperação econômica do país. A essa gente pouco importa o que vai acontecer no futuro, desde que estejam devidamente eleitos e agradando a quem lhes convém. E a Alta Corte: O STF, defensor da Constituição e da segurança jurídica, perdeu a vergonha. Ministros soltam bandidos condenados, revelando para quem realmente trabalham. O Governo e sua turma então só fazem se defender das denúncias que lhe são imputadas. Assim, estamos nas mãos desses gângsteres instalados no Distrito Federal. 

E por aqui?

Sem recursos para qualquer iniciativa ou obra estamos a ver navios, vendo a banda passar, sem ânimo para qualquer obra, vendo os buracos tomar conta da cidade. Aliás, a distração dos munícipes com a Copa do Mundo e com as eleições que se aproximam são o momento propício para o marasmo que vivemos. É tempo de inverno, e rigoroso pelo que vemos, com a falta de iniciativa a qual estamos expostos nos últimos meses. Será que sobreviveremos aos próximos tempos? Quem viver, verá!

Prá você pensar:

“Paz e harmonia: eis a verdadeira riqueza de uma família”. (Benjamin Franklin)

Foto: Reprodução

Apesar da Copa, a vida segue...


26/06/2018 -

A Copa do Mundo na Rússia tem tirado de cena os acontecimentos em nosso país, mas apesar dela a vida segue e por aqui tivemos muitos fatos importantes. Um deles foi o evento de apresentação do Projeto de Iluminação Pública, que reuniu numa promoção da Presidente do Consórcio Intermunicipal Centro-Sul, Fábia Richter, Prefeita do Cristal,  cerca de 14 municípios da região para discutir a concessão da implantação de iluminação pública com novas e modernas tecnologias com custo zero para os municípios, porém com financiamento através do BNDES com prazos que podem chegar até 30 anos de concessão custeados pelas empresas concessionárias através de uma parceria público-privada, PPP, na qual através de licitação as empresas concessionários ficariam responsáveis pelo pagamento dos custos através de concessão de exploração da iluminação pública dos municípios por longos prazos. O projeto é inédito no país e conta com o apoio do BNDES. Na última quarta-feira, estiveram no IFSUL, em Camaquã, palestrantes de Porto Alegre, onde o projeto já está sendo implantado, do Tribunal de Contas do Estado, detalhando a legislação pertinente e o representante do BNDES, financiador do projeto. Trata-se de um passo a frente na questão da Iluminação das cidades de nossa região em situação precária e sem recursos para realizar as melhorias necessárias. No mês de julho a licitação da concessão acontecerá e depois disso os consultores estarão nos municípios e estes terão mais de um projeto para decidir que caminhos querem seguir.

Educação com muitos projetos

No último sábado conversamos no Controle Geral com a SM da Educação de Camaquã, Eva Rosi Bueno Nunes que apresentou as muitas atividades da Secretaria no último semestre. Falou sobre a posse dos novos diretores que estão desempenhando com muita capacidade suas atividades. Disse que apesar das dificuldades o município através do governo tem realizado muitas obras, entre elas nas escolas José Antônio Netto, onde foram construídas 4 novas salas de aula, a cobertura de entrada da escola Nadir Medeiros, cobertura da quadra na Escola João Goulart e o Recanto Infantil será contemplado com a construção de uma nova escola para a Educação Infantil. No que diz respeito a Semana da Pátria que inicia dia 1º de setembro, a Secretaria já está preparando uma grande programação para a data.

Prá você pensar:

“Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida”.  (Bob Marley)

Foto: Prefeitura de Cristal/Divulgação

Sorte de Temer!


12/06/2018 -

Os institutos de pesquisa nos dizem que de cada dez brasileiros, oito não apoiam o governo. Talvez este seja o recorde de impopularidade de um governante aqui no Brasil. Vários fatores levam a este índice, mas talvez o que mais se evidencie é a falta de credibilidade em razão da corrupção. A sorte do governante é que a Copa do Mundo está aí para tirar a atenção dos eleitores, e a razão mais significante para que não haja manifestações mais contundentes talvez seja a realização das eleições logo em seguida. Não fosse isso o Presidente não chegaria ao final do mandato, pois a insatisfação é geral. O país e o próximo governo sofrerão as consequências e a conta já está sendo paga por nós!

Anular é burrice!

A inconformidade dos eleitores com a classe política é enorme. Além das eleições estarem batendo a nossa porta, a oferta de candidatos não satisfaz aos que querem mais e melhores alternativas em quem depositar sua confiança no sentido de dar o seu aval para governar os destinos do país. Assim, vemos diariamente pelas redes sociais e pela nossa imprensa o desejo de votar em branco ou mesmo anular o voto, pensando que com estas alternativas possam anular o pleito. Ora, esta alternativa além de equivocada, não anulará a eleição, como bem prevê a nossa legislação. Ela apenas facilitará a condução dos indesejáveis aos cargos, pois os votos que abocanharem serão válidos e consequentemente ocuparão as cadeiras. Acontecerá o que já ocorreu na Venezuela, onde o Governo impopular foi reconduzido ao poder exatamente porque a população eximiu-se de expressar a sua opinião. Deixar em branco ou anular, sem dúvida, é a pior escolha!

Semana Integrare

O COMADECAM transferiu para o próximo dia 26 de junho, dia Municipal e Mundial de combate às drogas a sua conferência sobre drogas de Camaquã, cujo tema este ano será: Comunidades Terapêuticas como método de tratamento para casos complexos e resistentes. Palestrante Dr. Nino March, especialista no assunto. O evento acontecerá no Cine Teatro Coliseu, às 19:00 hs. Participe!

Prá você pensar:

“A consciência de amar e ser amado traz um conforto e riqueza à vida que nada mais consegue trazer”. (Oscar Wilde)

Foto: Estadão/Reprodução

Crise até o Fim


07/06/2018 -

Costumamos nos queixar das dificuldades econômicas e sociais pelas quais passa o país nos últimos tempos. Pois o que vemos para o futuro não nos dá esperança de que tenhamos dias melhores até o final do ano. E com a Greve dos Caminhoneiros, nossa economia que já estava precária, piorou com a falta de arrecadação, com o desabastecimento, e principalmente, com a falta de credibilidade do nosso governo federal. E o que vem pela frente é a Copa do Mundo, quando os olhos se voltam para o futebol e logo em seguida as eleições, quando só se fala em política. E o governo, que já era ruim. Eivado de críticas, denúncias e corrupção não tem força política nem interesse em realizar algo. Talvez se preocupe em salvar a sua pele. Temos experiência das últimas eleições de que após a sua realização, nada mais acontece, a não ser a espera do novo governo. Que tenhamos bom senso na hora de escolher aqueles que terão o nosso aval para dirigir o país. O Brasil merece ser governado por quem deseja o seu crescimento sem olhar para o próprio umbigo. Mas para que tenhamos dias melhores se faz necessário que muitas mudanças ocorram e estas são difíceis de serem realizadas. Torçamos para que a população faça uma escolha racional!

O modal rodoviário

Aos poucos o povo está descobrindo o poder que possui e que pode derrubar governos e modificar um país que tem tudo para dar certo. A Greve dos Caminhoneiros já de há muito era anunciada, mas desta vez calou forte no Governo. O Brasil parou e a crise não foi pior porque, ao final, entraram os políticos e daí é o que se sabe, desuniu a categoria, saíram do foco, e o governo correu para atender praticamente todas as reivindicações da categoria. Mas foi um sufoco! Quando o país optou pelo modal rodoviário, mesmo possuindo uma imensa rede fluvial e marítima, deixando de lado uma malha ferroviária respeitável, tomou um caminho que o tornou refém de uma so categoria. Assim, foi fácil parar o país pela desorganização de um governo fraco e sem iniciativa. Mudar, agora é política de muitas décadas, porém tem que se pensar em um futuro que torne menos oneroso o transporte de cargas. Usemos o exemplo de outros países onde o transporte por rodovias é feito apenas entre pequenas distâncias. Opção que pode ser feita aqui também, sem muitos traumas, contudo é preciso começar!  

Prá você pensar:

“Quem procura acha, mas o que a gente perde, pode ser que a gente nunca mais encontre, por isso não perca a honestidade, sinceridade, credibilidade e o amor de quem te ama e nem o despreze”. (Valdir Aquino Lubas).

Prefeito fala sobre seu Governo


03/06/2018 -

No sábado (26) o Controle Geral recebeu o Prefeito Municipal Ivo de Lima Ferreira para uma entrevista em que abordou as questões de seu governo e as dificuldades pelas quais passam os municípios. Iniciou falando sobre a Usina Asfáltica que tem sido cobrada pela comunidade. Disse que não foi possível concretizar a compra no ano que passou em face de entraves junto a Câmara e a falta de tempo para apresentar a documentação necessária junto a Caixa Econômica Federal. Quando isso foi possível, a Caixa fechou a concessão de financiamentos. Salientou que o valor de cerca de 5 milhões de reais não é apenas para a Usina, trata-se também da aquisição de máquinas e equipamentos necessários ao município. Uma das questões que muito se tem ouvido queixas é sobre a iluminação pública. O Prefeito disse que pretende enfrentar a questão fazendo uma parceria público-privada PPP, para melhorar a iluminação municipal. Quanto a questão das atividades comerciais em área pública, o governo criou uma Comissão que irá regulamentar esta atividade. Salientou que o assunto é grave, mas que precisa ser encarado eis que muitas famílias sobrevivem desta atividade. A administração estuda a possibilidade de criar espaço para alocar tais estabelecimentos.

Quanto à privatização do Hospital

O Prefeito clareou que não existe nenhum projeto municipal de privatização do hospital, o assunto não é verdadeiro. Informou que com o inicio das atividades da UPA a transferência de recursos para o HNSA foi cancelada, pois o governo os transferiu para aquela Unidade de Pronto Atendimento. O que está ocorrendo é que o Hospital não está recebendo pacientes que não podem ser atendidos na UPA e isto está causando problemas aos doentes do município, pois a saúde pública precisa funcionar. Se persistir esta falta de atendimento o Governo Municipal terá de intervir no hospital, segundo IVO.

Prá você pensar:

“Nossa missão na Terra é descobrir nosso próprio caminho. Nunca seremos felizes se vivermos um tipo de vida idealizado por outra pessoa”. (James Van Praagh)

COLUNISTA

Alvorino Osvaldt

Advogado e apresentador do programa Controle Geral da Rádio Camaquense.

Alagamentos e ambulantes

Um dos bons vereadores em Camaquã é Marco Longaray, sempre dedicado as questões que envolvem o bem comum! Ele foi um dos participantes do Controle Geral do último sábado e nos trouxe diversos assuntos importantes para a municipalidade. Abordou, por exemplo, a questão dos alagamentos na cidade, informando que o Prefeito Ivo está dialogando com a Universidade de Rio Grande para a realização de Estudo Hidrológico sobre as nossas dificuldades pluviais, o que por certo trará muitas vantagens para a comunidade, pois como se sabe inexistem recursos para sanar os alagamentos, e para buscá-los no Governo Federal há necessidade de projetos bem embasados. Desta forma, como os recursos da Corsan destinados para tal finalidade não foram usados para este fim, se faz necessário apelar à União. Para tal finalidade também se faz necessário um plano diretor de manejo das águas pluviais e arroios, que segundo Marco, ainda não temos. Outra questão na qual o Vereador está envolvido, é o grupo de trabalho que agrupa várias secretarias e a Câmara, Acic e Sindilojas e os ambulantes. Se pretende fazer a colocação deste tipo de comércio em local específico da cidade, eis que com a implantação do estacionamento rotativo não haverá mais a possibilidade de que fiquem à margem das vias, como até agora tem sido. O assunto está em discussão e brevemente será resolvido.

Estacionamento Rotativo pode iniciar este ano

Uma das questões que se arrasta a mais de dois anos no município é a implantação do Estacionamento Rotativo. Aprovado pela Câmara, agora já com licitação em andamento, aguarda o prazo de recursos para que a empresa vencedora possa iniciar seu trabalho na cidade. Antiga reivindicação das entidades de classe e lojistas da cidade parece que agora vai acontecer. Abrangerá o centro da cidade, onde no momento é quase impossível estacionar, tal o número de veículos que disputam uma vaga. Delimitado o perímetro que abrangerá 750 vagas e serão exploradas por empresa devidamente credenciada para realizar tal serviço. O município receberá 10% do valor arrecadado pela empresa e o inicio dos trabalhos poderá acontecer ainda este ano.

Pra você pensar:
“Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, mesmo que o agrave”. (Carlos Drummond de Andrade)

Camaquã (RS), 17 de setembro de 2018.

Alvorino Osvaldt