Gazeta Regional Alvorino

Crise até o Fim


07/06/2018 -

Costumamos nos queixar das dificuldades econômicas e sociais pelas quais passa o país nos últimos tempos. Pois o que vemos para o futuro não nos dá esperança de que tenhamos dias melhores até o final do ano. E com a Greve dos Caminhoneiros, nossa economia que já estava precária, piorou com a falta de arrecadação, com o desabastecimento, e principalmente, com a falta de credibilidade do nosso governo federal. E o que vem pela frente é a Copa do Mundo, quando os olhos se voltam para o futebol e logo em seguida as eleições, quando só se fala em política. E o governo, que já era ruim. Eivado de críticas, denúncias e corrupção não tem força política nem interesse em realizar algo. Talvez se preocupe em salvar a sua pele. Temos experiência das últimas eleições de que após a sua realização, nada mais acontece, a não ser a espera do novo governo. Que tenhamos bom senso na hora de escolher aqueles que terão o nosso aval para dirigir o país. O Brasil merece ser governado por quem deseja o seu crescimento sem olhar para o próprio umbigo. Mas para que tenhamos dias melhores se faz necessário que muitas mudanças ocorram e estas são difíceis de serem realizadas. Torçamos para que a população faça uma escolha racional!

O modal rodoviário

Aos poucos o povo está descobrindo o poder que possui e que pode derrubar governos e modificar um país que tem tudo para dar certo. A Greve dos Caminhoneiros já de há muito era anunciada, mas desta vez calou forte no Governo. O Brasil parou e a crise não foi pior porque, ao final, entraram os políticos e daí é o que se sabe, desuniu a categoria, saíram do foco, e o governo correu para atender praticamente todas as reivindicações da categoria. Mas foi um sufoco! Quando o país optou pelo modal rodoviário, mesmo possuindo uma imensa rede fluvial e marítima, deixando de lado uma malha ferroviária respeitável, tomou um caminho que o tornou refém de uma so categoria. Assim, foi fácil parar o país pela desorganização de um governo fraco e sem iniciativa. Mudar, agora é política de muitas décadas, porém tem que se pensar em um futuro que torne menos oneroso o transporte de cargas. Usemos o exemplo de outros países onde o transporte por rodovias é feito apenas entre pequenas distâncias. Opção que pode ser feita aqui também, sem muitos traumas, contudo é preciso começar!  

Prá você pensar:

“Quem procura acha, mas o que a gente perde, pode ser que a gente nunca mais encontre, por isso não perca a honestidade, sinceridade, credibilidade e o amor de quem te ama e nem o despreze”. (Valdir Aquino Lubas).

Prefeito fala sobre seu Governo


03/06/2018 -

No sábado (26) o Controle Geral recebeu o Prefeito Municipal Ivo de Lima Ferreira para uma entrevista em que abordou as questões de seu governo e as dificuldades pelas quais passam os municípios. Iniciou falando sobre a Usina Asfáltica que tem sido cobrada pela comunidade. Disse que não foi possível concretizar a compra no ano que passou em face de entraves junto a Câmara e a falta de tempo para apresentar a documentação necessária junto a Caixa Econômica Federal. Quando isso foi possível, a Caixa fechou a concessão de financiamentos. Salientou que o valor de cerca de 5 milhões de reais não é apenas para a Usina, trata-se também da aquisição de máquinas e equipamentos necessários ao município. Uma das questões que muito se tem ouvido queixas é sobre a iluminação pública. O Prefeito disse que pretende enfrentar a questão fazendo uma parceria público-privada PPP, para melhorar a iluminação municipal. Quanto a questão das atividades comerciais em área pública, o governo criou uma Comissão que irá regulamentar esta atividade. Salientou que o assunto é grave, mas que precisa ser encarado eis que muitas famílias sobrevivem desta atividade. A administração estuda a possibilidade de criar espaço para alocar tais estabelecimentos.

Quanto à privatização do Hospital

O Prefeito clareou que não existe nenhum projeto municipal de privatização do hospital, o assunto não é verdadeiro. Informou que com o inicio das atividades da UPA a transferência de recursos para o HNSA foi cancelada, pois o governo os transferiu para aquela Unidade de Pronto Atendimento. O que está ocorrendo é que o Hospital não está recebendo pacientes que não podem ser atendidos na UPA e isto está causando problemas aos doentes do município, pois a saúde pública precisa funcionar. Se persistir esta falta de atendimento o Governo Municipal terá de intervir no hospital, segundo IVO.

Prá você pensar:

“Nossa missão na Terra é descobrir nosso próprio caminho. Nunca seremos felizes se vivermos um tipo de vida idealizado por outra pessoa”. (James Van Praagh)

Pontos em Comum


31/05/2018 -

Finalmente parece que Legislativo e Executivo começam a se entender. Desde o início da gestão atual da mesa da Câmara existem pontos convergentes entre o Presidente Claiton e o Prefeito Ivo na busca de pontos nos quais os dois não divergem, eis que, como sabemos, o Presidente do Legislativo é Pedetista e o Chefe do Executivo Tucano. Embora um não seja “Bicudo”, os dois “não se beijam”, daí a necessidade de buscar consenso visando o bem maior da sociedade Camaquense. E nos encontros realizados pelos dois poderes, já começam a surgir idéias que se dirigem a um mesmo ponto: O entendimento! Com isto quem sai ganhando é o município. O primeiro fruto é o do local para construção da nova sede da Câmara de Vereadores. Os edis querem ampliar e modernizar a sede, buscando maior espaço, que é necessário. O município tem espaços que servem aos interesses da Câmara, que por sua vez tem os recursos para aquisição do imóvel. Recursos necessários para o Executivo. Assim, através do diálogo, está surgindo o entendimento para que Executivo e Legislativo façam um acordo em que todas as partes saiam ganhando. Esta é exatamente a primícia de um bom negócio! Torcemos para que continue assim.

Foto: Arquivo/GR

Tiro no pé!


22/05/2018 -

Ouço comentários de que existe a pretensão dos municípios da região, inclusive Camaquã, pleitearem a municipalização do Hospital Nossa Senhora Aparecida. Não quero crer que este boato seja verdadeiro, pois se o fôr, trata-se de um legítimo tiro no pé da população e um grande equívoco dos pretendentes. Conviví, a cerca de 40 anos atrás, com o Hospital que dependia para tudo do município. Era um verdadeiro caos, cabide de empregos, favores, má gestão, corrupção e outros fatos que nem é bom trazer a tona. Foi no governo do saudoso Paulo Belchior da Costa, que tivemos a criação da Fundação Hospitalar que tão bem conduz a instituição. Hoje vemos que os municípios não têm sequer recursos para gerir as suas próprias responsabilidades com a saúde básica local. Administrar um hospital exige capacidade e dedicação, o que não vemos por aqui. E cá entre nós: O HNSA está muito bem administrado e tem uma equipe muito preparada a realizar o trabalho que se exige de uma instituição de saúde. Se nem tapar buracos o município faz bem, como seria cuidar de nossa saúde?

Foto: Arquivo/GR

Ceee fiscaliza suspeitos de “Gato”


11/05/2018 -

Após muitos avisos de que roubar energia elétrica é crime, a CEEE passou a agir contra os que a utilizam ilegalmente no município e na semana passada 78 consumidores foram investigados em Camaquã. Destes, apenas 4 tiveram de responder  processo junto a justiça sobre a incongruência existente entre o consumo e a conta. Felizmente o número é pequeno levando em conta a quantidade de pessoas que foram fiscalizadas. Mas fica o alerta!

Foto: Andreia Fantinel/CEEE/Divulgação

COLUNISTA

Alvorino Osvaldt

Advogado e apresentador do programa Controle Geral da Rádio Camaquense.